Tópicos de soluções | NETSCOUT

Tópicos de soluções

A tecnologia padrão Wi-Fi 802.11ac encara os desafios que causam grande estresse sobre a rede Wi-Fi, como ambientes de alta densidade, proliferação de dispositivos BYOD e aplicativos que utilizam uma grande quantidade de largura de banda, como fluxos de vídeo, ao proporcionar velocidades em Gigabit. Isto é conseguido com o padrão de Wi-Fi 802.11ac, agrupando tecnologias como MIMO, formação de feixe, ligação de canais e muitas outras que foram introduzidas primeiramente no 802.11n.

Para as organizações em que seus usuários finais confiam no fluxo livre de informações digitais, a promessa de mobilidade é bem-vinda. A realidade dos departamentos de TI nessas "empresas sem fronteiras" é a falta de visibilidade de toda a rede, seja nas instalações, em nuvem e em ambientes sem fio, o que rapidamente coloca na penumbra os benefícios ao negócio quando as coisas dão errado.

A tremenda popularidade de dispositivos de consumidor não mostrou nenhum sinal de diminuição. Em 2013, espera-se que telefones inteligentes sejam usados como o dispositivo principal para os consumidores se conectarem à internet. Até 2015, espera-se que a conectividade de tablets seja maior do que a de laptops. Não é nenhuma surpresa que estes dispositivos estejam sendo trazidos cada vez mais para o local de trabalho e usados para executar tanto funções críticas de negócios quanto tarefas confidenciais dos usuários. Na verdade, um usuário comum em um empresa tem de 2 a 4 dispositivos móveis, a maioria dos quais precisa de conectividade sem fio, e este número continua a crescer constantemente. Junto com a remodelação do projeto da rede sem fio e com melhoramentos à infraestrutura da rede sem fio para oferecer suporte a esses dispositivos, algumas organizações começaram a implementar aplicativos para o uso dos funcionários e áreas de armazenamento de aplicativos personalizadas.

Os data centers de hoje estão transformando-se de uma infraestrutura tradicional, distribuída em uma estrutura consolidada e orientada para serviços. Se em crescimento para oferecer suporte a serviço que requerem muita largura de banda ou encolhendo e centralizando sistemas, os data centers estão em um estado de constante mudança. Nos data centers que estão crescendo, os servidores estão sendo virtualizados e os 40 Gigabit links estão sendo instalados para suportar a consolidação dos aplicativos sedentos por largura de banda, um fato que aumenta o custo das interfaces de rede e coloca demandas ainda maiores sobre a infraestrutura de cabeamento.

Os orçamentos de TI estão constantemente sendo reduzidos, e isto coloca pressão sobre os engenheiros para que obtenham o máximo de cada switch, roteador, servidor, ou hypervisor que já esteja implementado, além de consolidar recursos e reduzir o consumo de energia. Em alguns casos, os serviços estão sendo terceirizados para os fornecedores da nuvem, onde podem fornecer suporte crítico aos usuários em todo o mundo. Estas mudanças devem ser feitas com perfeição e com o mínimo de tempo ocioso das máquinas de aplicativos empresariais da produção e devem resultar em melhor desempenho do sistema total.

O funcionamento de rede nem sempre significa alto desempenho de aplicativos. Os Engenheiros de rede hoje têm acesso a mais pontos de dados para o monitoramento de suas redes do que nunca antes. Eles têm a capacidade de analisar a saúde de dispositivos, sua utilização, pacotes descartados e fluxos de tráfego, coletando dados em ferramentas de gerenciamento de rede. Ainda assim, apesar dessa visibilidade, eles lutam para ficar à frente de aplicativos lentos. A chave para resolver esse problema e ficar à frente dessa tendência é aproveitar a visibilidade fornecida pela análise do tempo de resposta do usuário final.

Os administradores de rede de hoje têm que equilibrar duas demandas opostas: o desejo para de ter maior velocidade de resposta e desempenho ótimo para o usuário final, e a necessidade reduzir os custos operacionais. O tráfego, de negócios ou outro, tende a se expandir para preencher a largura de banda de rede disponível, degradando o desempenho nos links mais congestionados. Os gerentes de rede não podem simplesmente elevar a largura de banda para resolver o problema, mas devem demonstrar que um link está enfrentando congestionamento por um período significativo de tempo devido ao uso comercial legítimo, antes que eles possam adicionar capacidade de rede. Rompa com a abordagem tradicional de planejamento de capacidade ao compreender os novos princípios para o planejamento eficaz da capacidade de rede.

 

A demanda por – e em – soluções residenciais de Wi-Fi está aumentando, alimentada por serviços de vídeo. Wi-Fi para vídeo oferece benefícios que dão vantagens aos prestadores em um mercado de triple play, definido pela intensa competição e preços comoditizados . Os benefícios de Wi-Fi residencial têm um custo – uma arquitetura interna e ambiente operacional que diferem das contrapartes de telefonia fixa e, portanto, colocam desafios à instalação e ao desempenho contínuo. Os prestadores de serviços devem compreender estes desafios e armar-se com as ferramentas certas para superá-los e maximizar os benefícios da Wi-Fi residencial.

Não é nenhum segredo que a virtualização poupa dinheiro, está bem desenvolvida e há vários fornecedores de alto impacto no mercado à escolha. Ela veio para ficar, e se já não tem, ela logo terá um lugar permanente nos data centers.

Switches, roteadores e outros dispositivos de infraestrutura estão sendo consolidados e virtualizados, criando ambientes inteiros de infraestrutura de rede dentro de uma plataforma de hardware. Há diversos impactos e considerações-chave relativos à virtualização de servidores e da infraestrutura, mas a maioria dos departamentos de TI considera que as economias de custo e eficiência mais que compensam a troca.

As redes sem fio costumavam ser simplesmente para fins de conveniência, mas, graças às organizações de TI de hoje, as redes Wi-Fi podem executar aplicativos de alto desempenho vitais para as empresas ou, no caso de instalações médicas, fornecer informações que podem salvar vidas aos médicos, enfermeiros e aplicativos de assistência à saúde. O crescimento explosivo dos tablets, Netbooks e outros dispositivos móveis levou a demanda por serviços de Wi-Fi ainda além, à medida que esses BYODs (Bring Your Own Devices) são trazido para o local de trabalho e esperam que haja conectividade.

No passado, as redes sem fio eram usadas somente em locais focados, para alguns aplicativos baseados em dados. Agora, esses dispositivos exigem serviços de voz, vídeo e dados que sejam móveis. Para atender a essas demandas, alguns ambientes de rede sem fio estão exigindo revisões completas para fornecer cobertura completa de sinal sem fio e conectividade de alta qualidade em altas velocidades, sem sacrificar a segurança. No passado, o suporte a novos usuários exigia somente a adição de novos pontos de acesso. Esse já não é mais o caso. Uma vez que o usuário sem fio de hoje exige mais largura de banda para aplicativos comerciais vitais de alto desempenho, além de voz e vídeo, a qualidade do sinal e cobertura completa são indispensáveis.

 
 
Powered By OneLink