Operações e técnicos de rede. | NETSCOUT

Operações e técnicos de rede.

As Operações e Técnicos de Rede são encarregados hoje de dar suporte a mais aplicativos e serviços críticos da empresa do que em qualquer outro momento do passado. Esta tendência expandiu o papel das Operações de Rede, tanto em escala quanto em importância. Na maioria das organizações de TI, as Operações de Rede estão assumindo mais responsabilidades devido ao crescente número e complexidade de novas tecnologias de infraestrutura de redes, consolidação de responsabilidades entre múltiplos locais, redução da equipe de TI e do fornecimento de mais suporte a organizações de engenharia de redes.

As infraestrutura que dá suporte a aplicativos empresariais continua a mudar, graças a virtual switching e à migração para a nuvem, o que limita a visibilidade das plataformas da gerenciamento de redes e aplicativos. Entretanto, as Operações de Rede ainda têm a tarefa de monitorar esses sistemas com pouco acesso aos componentes que dão suporte aos mesmos. Devido à 24/7/365 demanda nestes sistemas empresariais, as Operações de Rede também exigem acesso móvel a essas ferramentas de gerenciamento, bem como relatórios automatizados compartilháveis, para facilitar o escalonamento do problema e a resolução em equipe.

Impactos nas funções

As funções de Técnicos de Rede e Operações de Rede estão constantemente lidando com complexidade e responsabilidade crescentes. Para continuar com essas mudanças, é necessária comunicação instantânea entre a Engenharia de Rede e as Operações, para garantir que um problema chegue à pessoa certa o mais rápido possível.

As ferramentas de monitoração são, geralmente, limitadas a um departamento dentro da TI, o que cria limites organizacionais entre as Operações e a Engenharia e a análise dos dados disponíveis. Isto exige que os técnicos busquem Comunicações Unificadas e, até mesmo, Mídias Sociais, para interagirem com os Engenheiros. Atrasos nesta comunicação e no compartilhamento de dados leva os usuários empresariais a sofrerem os impactos dos problemas no desempenho dos aplicativos muito antes da causa raiz ser isolada e resolvida por essas equipes.

O papel das Operações de Rede está se expandindo em muitos ambientes, passando de um papel de monitoração para um papel ativo de identificação e resolução de problemas. Algumas empresas tentam manter os escalonamentos à Engenharia ao mínimo, permitindo que os Engenheiros de Rede se concentrem em projetos e atualizações futuros da infraestrutura e dos serviços. Esta mudança coloca mais pressão nas Operações para resolver problemas de rede e de aplicativos, incluindo problemas no ambiente sem fio e violações de segurança.

Considerações chaves

Com tanta coisa sob a responsabilidade do atual Operador de Rede, tornou-se mais importante do que nunca ter as ferramentas certas, para que eles possam ser os primeiros a reagir de forma eficiente quando surgir um problema. Em diversas organizações, os Centros de Operações de Rede estão passando a utilizar sistemas centralizados de gerenciamento, que dão suporte à análise automatizada, identificação de problemas e geração de relatório e, ao mesmo tempo, permitem o acesso de Smart Phones e Tablets do pessoal de Operações de Rede de qualquer lugar. Estes técnicos podem adotar procedimentos preestabelecidos de identificação e resolução de problemas, usando ferramentas automatizadas, com a orientação do usuário quanto a um problema. Quando um problema exige escalonamento, essas ferramentas de gerenciamento precisam incluir resultados de testes que possam ser rápida e facilmente compartilhados com a engenharia.

Quando um projeto de aplicativo ou serviço comercial estiver sendo planejado para implementação, certifique-se de que as ferramentas da monitoração e análise estejam incluídas no orçamento, nesta fase. Antes que um sistema novo entre em operação, ele deve ser monitorado e analisado pelo pessoal de Operações de Rede usando o novo sistema e ferramentas de monitoramento. Por exemplo, se uma organização estiver pensando em adotar um sistema de pedidos automatizado com suporte de um ambiente virtualizado multi-estratificado, o aplicativo deve ser monitorado a fim de detectar atrasos em cada nível. A ferramenta de gerenciamento também precisa incluir um sistema automatizado de alertas e geração de relatórios que permita às Operações de Rede tomarem medidas quanto a um problema, antes que ele atinja os usuários. É preciso investir tempo para garantir que as Operações de Rede estejam equipadas com um fluxo de trabalho para cada tipo de problema, usando o sistema de monitoração para estabelecer uma interface com os engenheiros de escalada.

Alguns ambientes de NOC também sofrem sobrecarga de ferramentas. Quando ocorre um problema, há tantos dados a serem analisados e filtrados que chegam a ocultar a causa raiz, deixando os técnicos das Operações de Rede sobrecarregados. Para tratar esse tipo de problema, certifique-se de que o sistema de gerenciamento use análise automatizada e direcionamento de problemas e, ao mesmo tempo, levante os detalhes mais profundos de que a Engenharia necessita. O sistema deve, também, ser capaz de fornecer painéis de controle personalizados para uso de diferentes conjuntos de competências dentro das Operações de Rede, bem como para colaboração com outros departamentos. A análise Back-in-Time é vital para a monitoração e análise de problemas intermitentes que ocorreram no passado, e também reduz o tempo gasto em isolar e resolver problemas.

Vantagens

Há várias vantagens importantes na implementação desses sistemas de gerenciamento em um departamento de Operações de Rede. Primeiramente, os técnicos poderão acompanhar o ritmo de um ambiente de rede altamente dinâmico, que impõe mais demandas sobre sua função. Essas demandas incluem a resolução de problema de aplicativos e a análise de componentes de rede que não podem ser acessados na nuvem. Nos ambientes de rede críticos de hoje, os técnicos não podem continuar a depender de sistemas legados, que exibem somente status ativado/desativado e tempos de resposta de ping. Esses dados não são capazes de facilitar a localização da causa raiz da resposta lenta do aplicativo e, frequentemente, não permitem que o problema seja isolado e resolvido. Quando o departamento de Operações de Rede tem as ferramentas certas para enfrentar esses desafios, a empresa pode continuar a operar em 100%, sem ficar restrita por irritantes problemas de desempenho da rede e dos aplicativos.

Ferramentas e soluções para o técnico da rede

OneTouch AT

OneTouch™ AT

O OneTouch AT é uma ferramenta de toque único usada por clientes para testar Nuvens. O tempo de resposta de aplicativos é medido e detalhado pelo tempo de conexão, pelo tempo de resposta do serviço, e pela latência da rede. Identifique e resolva os problemas de conexão do cliente através da conexão com ou sem fio e, ao mesmo tempo, meça os serviços de rede hospedados localmente e na nuvem. O OneTouch AT pode ser acessado remotamente para a colaboração da equipe com outros membros da organização de TI.

AirMagnet Survey 

LinkRunner™ AT Network AutoTester

Esta ferramenta portátil de análise identifica problemas de conectividade em redes com fio em apenas alguns 10 segundos. Verifique, imediatamente, o status do link, o tipo de conexão e a intensidade do sinal do link, bem como o PoE, com o recurso TruePower.

OneTouch AT

Testador de Rede LinkSprinter

Teste e valide a conectividade de rede em menos de 10 segundos com este testador Ethernet de tamanho de bolso. Obtenha rapidamente VLAN, nome do comutador e informações da porta via CDP/LLDP/EDP para seus comutadores gerenciados e valide PoE.

AirMagnet Survey 

AirCheck G2

Essa ferramenta dedicada e portátil para redes sem fio 802.11 a/b/g/n/ac* simplifica a análise de redes sem fio e a identificação e a resolução de problemas através de teste automatizado de aprovação/reprovação. O AirCheck identifica rapidamente diversos indicadores-chave da saúde do ambiente, identificando problemas comuns para todos o níveis de perícia dos técnicos. O AirCheck transformou-se na ferramenta preferida, na ferramenta da primeira resposta em inúmeros ambientes para a avaliação, identificação e resolução de problemas de redes sem fio e para a determinação da prontidão de BYOD. O AirCheck pode detectar e localizar os pontos de acesso do padrão 802.11ac, assim como validar a conectividade do cliente 802.11a/b/g/n ao se conectar com os PAs 802.11ac.

Recursos relacionados

A NETSCOUT proporciona muitos recursos para ajudar nossos clientes a resolverem desafios (de Técnico e Operações de Rede). Alguns exigem um registro simples.

Resumos técnicos:

Dicas rápidas para ajudar profissionais de rede a trabalhar mais rápido e de modo mais inteligente
Aqui estão 7 modos como indivíduos e organizações podem melhorar como eles gerenciam suas redes.
As 4 principais coisas que a sua operação de redes deve saber sobre suas redes de acesso
Este artigo debate as melhores práticas que ajudarão a tornar a equipe mais eficiente para manter controle da rede comutada, melhorar a colaboração da equipe de TI e manter as pessoas e coisas conectadas funcionando.
Solução de problemas de modo remoto
Este white paper discutirá estratégias que a sua organização deve considerar ao procurar por modos para ajudar com que o técnico de rede no local seja mais capaz de identificar e solucionar problemas por conta própria.
As 10 principais coisas que seu aplicativo de teste de Wi-Fi não está dizendo a você
Há muitos aplicativos para smartphone e tablet disponíveis para testes de Wi-Fi. A maioria deles é gratuita ou custa menos de US$100, tornando-os uma escolha atraente (no início) para as pessoas que precisam verificar e manter serviços Wi-Fi com baixo custo.
 
 
 
Powered By OneLink