Operações e técnicos de rede. | NETSCOUT

Operações e técnicos de rede.

As Operações e Técnicos de Rede são encarregados hoje de dar suporte a mais aplicativos e serviços críticos da empresa do que em qualquer outro momento do passado. Esta tendência expandiu o papel das Operações de Rede, tanto em escala quanto em importância. Na maioria das organizações de TI, as Operações de Rede estão assumindo mais responsabilidades devido ao crescente número e complexidade de novas tecnologias de infraestrutura de redes, consolidação de responsabilidades entre múltiplos locais, redução da equipe de TI e do fornecimento de mais suporte a organizações de engenharia de redes.

As infraestrutura que dá suporte a aplicativos empresariais continua a mudar, graças a virtual switching e à migração para a nuvem, o que limita a visibilidade das plataformas da gerenciamento de redes e aplicativos. Entretanto, as Operações de Rede ainda têm a tarefa de monitorar esses sistemas com pouco acesso aos componentes que dão suporte aos mesmos. Devido à 24/7/365 demanda nestes sistemas empresariais, as Operações de Rede também exigem acesso móvel a essas ferramentas de gerenciamento, bem como relatórios automatizados compartilháveis, para facilitar o escalonamento do problema e a resolução em equipe.

Impactos nas funções

As funções de Técnicos de Rede e Operações de Rede estão constantemente lidando com complexidade e responsabilidade crescentes. Para continuar com essas mudanças, é necessária comunicação instantânea entre a Engenharia de Rede e as Operações, para garantir que um problema chegue à pessoa certa o mais rápido possível.

As ferramentas de monitoração são, geralmente, limitadas a um departamento dentro da TI, o que cria limites organizacionais entre as Operações e a Engenharia e a análise dos dados disponíveis. Isto exige que os técnicos busquem Comunicações Unificadas e, até mesmo, Mídias Sociais, para interagirem com os Engenheiros. Atrasos nesta comunicação e no compartilhamento de dados leva os usuários empresariais a sofrerem os impactos dos problemas no desempenho dos aplicativos muito antes da causa raiz ser isolada e resolvida por essas equipes.

O papel das Operações de Rede está se expandindo em muitos ambientes, passando de um papel de monitoração para um papel ativo de identificação e resolução de problemas. Algumas empresas tentam manter os escalonamentos à Engenharia ao mínimo, permitindo que os Engenheiros de Rede se concentrem em projetos e atualizações futuros da infraestrutura e dos serviços. Esta mudança coloca mais pressão nas Operações para resolver problemas de rede e de aplicativos, incluindo problemas no ambiente sem fio e violações de segurança.

Considerações chaves

Com tanta coisa sob a responsabilidade do atual Operador de Rede, tornou-se mais importante do que nunca ter as ferramentas certas, para que eles possam ser os primeiros a reagir de forma eficiente quando surgir um problema. Em diversas organizações, os Centros de Operações de Rede estão passando a utilizar sistemas centralizados de gerenciamento, que dão suporte à análise automatizada, identificação de problemas e geração de relatório e, ao mesmo tempo, permitem o acesso de Smart Phones e Tablets do pessoal de Operações de Rede de qualquer lugar. Estes técnicos podem adotar procedimentos preestabelecidos de identificação e resolução de problemas, usando ferramentas automatizadas, com a orientação do usuário quanto a um problema. Quando um problema exige escalonamento, essas ferramentas de gerenciamento precisam incluir resultados de testes que possam ser rápida e facilmente compartilhados com a engenharia.

Quando um projeto de aplicativo ou serviço comercial estiver sendo planejado para implementação, certifique-se de que as ferramentas da monitoração e análise estejam incluídas no orçamento, nesta fase. Antes que um sistema novo entre em operação, ele deve ser monitorado e analisado pelo pessoal de Operações de Rede usando o novo sistema e ferramentas de monitoramento. Por exemplo, se uma organização estiver pensando em adotar um sistema de pedidos automatizado com suporte de um ambiente virtualizado multi-estratificado, o aplicativo deve ser monitorado a fim de detectar atrasos em cada nível. A ferramenta de gerenciamento também precisa incluir um sistema automatizado de alertas e geração de relatórios que permita às Operações de Rede tomarem medidas quanto a um problema, antes que ele atinja os usuários. É preciso investir tempo para garantir que as Operações de Rede estejam equipadas com um fluxo de trabalho para cada tipo de problema, usando o sistema de monitoração para estabelecer uma interface com os engenheiros de escalada.

Alguns ambientes de NOC também sofrem sobrecarga de ferramentas. Quando ocorre um problema, há tantos dados a serem analisados e filtrados que chegam a ocultar a causa raiz, deixando os técnicos das Operações de Rede sobrecarregados. Para tratar esse tipo de problema, certifique-se de que o sistema de gerenciamento use análise automatizada e direcionamento de problemas e, ao mesmo tempo, levante os detalhes mais profundos de que a Engenharia necessita. O sistema deve, também, ser capaz de fornecer painéis de controle personalizados para uso de diferentes conjuntos de competências dentro das Operações de Rede, bem como para colaboração com outros departamentos. A análise Back-in-Time é vital para a monitoração e análise de problemas intermitentes que ocorreram no passado, e também reduz o tempo gasto em isolar e resolver problemas.

Vantagens

Há várias vantagens importantes na implementação desses sistemas de gerenciamento em um departamento de Operações de Rede. Primeiramente, os técnicos poderão acompanhar o ritmo de um ambiente de rede altamente dinâmico, que impõe mais demandas sobre sua função. Essas demandas incluem a resolução de problema de aplicativos e a análise de componentes de rede que não podem ser acessados na nuvem. Nos ambientes de rede críticos de hoje, os técnicos não podem continuar a depender de sistemas legados, que exibem somente status ativado/desativado e tempos de resposta de ping. Esses dados não são capazes de facilitar a localização da causa raiz da resposta lenta do aplicativo e, frequentemente, não permitem que o problema seja isolado e resolvido. Quando o departamento de Operações de Rede tem as ferramentas certas para enfrentar esses desafios, a empresa pode continuar a operar em 100%, sem ficar restrita por irritantes problemas de desempenho da rede e dos aplicativos.

Ferramentas e soluções para o técnico da rede

OneTouch AT

O OneTouch AT é uma ferramenta de toque único usada por clientes para testar Nuvens. O tempo de resposta de aplicativos é medido e detalhado pelo tempo de conexão, pelo tempo de resposta do serviço, e pela latência da rede. Identifique e resolva os problemas de conexão do cliente através da conexão com ou sem fio e, ao mesmo tempo, meça os serviços de rede hospedados localmente e na nuvem. O OneTouch AT pode ser acessado remotamente para a colaboração da equipe com outros membros da organização de TI.

OneTouch AT
LinkRunner AT Network AutoTester

 

Esta ferramenta portátil de análise identifica problemas de conectividade em redes com fio em apenas alguns 10 segundos. Verifique, imediatamente, o status do link, o tipo de conexão e a intensidade do sinal do link, bem como o PoE, com o recurso TruePower.

AirMagnet Survey 

 

Recursos relacionados

A NETSCOUT proporciona muitos recursos para ajudar nossos clientes a resolverem desafios (de Técnico e Operações de Rede). Alguns exigem um registro simples.

Resumos técnicos:

Mudando o paradigma da resolução de problemas
Mesmo enquanto a confiabilidade é inserida nas redes, as organizações de TI ficam sob a pressão de reduzir o tempo de identificação e resolução de problemas e fechar tickets mais depressa. Este documento técnico explica a mudança de paradigma na resolução de problemas de, bem como o que retarda o processo de resolução de problemas. Além disso, ele trata da razão pela qual um processo de três etapas é mais rápido e melhor do que um processo de duas etapas e como a automação e o novo paradigma poupam tempo e dinheiro.

 

 
 
 
Powered By OneLink