Encontrar a causa raiz não pode demorar | enterprise.netscout.com

Encontrar a causa raiz não pode demorar

 

Queixas de lentidão não são novidade. Na verdade, "a rede está lenta" tornou-se uma frase tão comum que alguns engenheiros agora a ignoram. Mesmo depois de anos de atualizações, modificações e melhorias de rede e do sistema, as ligações continuam chegando aos centros de suporte e ao suporte de TI com uma palavra como tema comum: lentidão. A propensão a esses problemas nas redes de hoje é intrigante e frustrante.

Há várias coisas que tornam difícil solucionar problemas de rede, especialmente as que causam impacto na conectividade ou tornam o desempenho lento. Estes desafios incluem, mas não estão limitados a:

 
  • Nenhum fluxo de trabalho padrão de solução de problemas para os técnicos e engenheiros de TI.
  • Sistemas de rede e de aplicações cada vez mais complexos.
  • Conjuntos de ferramentas e métodos de documentação diferentes.
  • Isolar o problema leva muito tempo.
  • Os conjuntos de habilidades dos técnicos variam amplamente.
 

Além desses desafios, quando retiramos as camadas e realmente investigamos por que os problemas de rede persistem, descobrimos que os métodos e as ferramentas existentes estão sendo usados para solucionar problemas diários. Alguém poderia pensar que atualmente deveria haver uma maneira melhor para identificar e resolver problemas rapidamente. No entanto, em muitos ambientes de TI, a mesma coisa antiga é feita para solucionar o mesmo problema antigo, o que custa tempo, paciência do usuário e, em última análise, dinheiro.

 

Utilizar uma abordagem existente não está restrito aos esforços de solução de problemas. Outras tarefas de TI também são impactadas, inclusive a validação de novas conexões, mover os usuários para novas áreas e testar a conectividade a novos servidores e aplicações após serem colocados on-line, localmente ou na nuvem.

O que estamos fazendo hoje, e por que não está funcionando?

Uma chamada chega ao suporte. Um protocolo é gerado. O aplicativo de CRM é lento. Depois de verificar as luzes verdes no mapa de saúde da rede no centro de comando, o técnico agarra seu laptop carregado com algumas ferramentas de solução de problemas baseadas em software e vai para o local do usuário. Após se conectar à rede a partir da perspectiva do usuário, o técnico olha a configuração de usuário e o endereço. Ele tenta alguns pings, monitora uma ou duas conexões de rede ou duas quanto à utilização, verifica se ele tem acesso ao servidor e certifica-se de que ele pode fazer login.

 

Como cada tecnologia tem um conjunto de ferramentas e métodos diferentes, esta sequência geral e o tempo de execução mudarão dependendo de quem foi enviado. Em muitos casos, estes passos não seguem um fluxo de trabalho com um conjunto de ferramentas padrão, o que significa que cada técnico tem seu "estilo" com base na sua experiência e treinamento. Problemas de rede podem ser identificados rapidamente por alguns técnicos, mas não por outros, aumentando ainda mais a frustração para resolvê-los. Mesmo quando o problema é identificado, a etapa de documentação é normalmente negligenciada, ficando para trás em relação aos novos problemas que surgem na rede.

 

Esse método pode ser melhorado de várias maneiras. Embora ele possa eventualmente fazer o trabalho, frequentemente demora muito, carece de um fluxo de trabalho e torna difícil a colaboração de dados entre as equipes se o problema aumentar ou for reatribuído. Em última análise, os problemas de conectividade continuam a ser uma praga para os usuários porque não há uma maneira simples e reproduzível para encontrar rapidamente a causa principal.

Como nós podemos resolver esses problemas mais rápido?

Uma chamada chega ao suporte. Um protocolo é gerado. O aplicativo de CRM é lento. Depois de verificar as luzes verdes no mapa de saúde da rede no centro de comando, o técnico agarra seu laptop carregado com algumas ferramentas de solução de problemas baseadas em software e vai para o local do usuário. Após se conectar à rede a partir da perspectiva do usuário, o técnico olha a configuração de usuário e o endereço. Ele tenta alguns pings, monitora uma ou duas conexões de rede ou duas quanto à utilização, verifica se ele tem acesso ao servidor e certifica-se de que ele pode fazer login.

 
 
  • Conexão à internet: Confirme a conectividade da nuvem ou o alcance do serviço internet. Verifique a pesquisa de servidor DNS e a conectividade da porta de aplicativos.

  • Conexão ao gateway: Verifique o endereço e o alcance do gateway/roteador ao fazer ping no dispositivo.

  • Conexão DHCP: Confirme que o servidor DHCP esteja em operação e com capacidade de resposta. Solicite um endereço IP, obtenha sua informações de subrede e identifique o gateway default e servidor DNS.

  • Link para o comutador: Usando CDP/LLDP, o LinkSprinter descobrirá o nome do comutador ligado, modelo, slot, porta e VLAN.

  • Power over Ethernet (PoE): Certifique-se de que você pode alimentar um celular, uma câmera de segurança ou um ponto de acesso por uma porta específica. O testador de rede LinkSprinter pode ser executado sem baterias, em PoE.



  •  
  •  

 

Resultados automatizados através de interface de usuário móvel

Resultados dos testes estão disponíveis conectando ao LinkSprinter 200 via Wi-Fi para um serviço da web interno, que informa sobre o teste mais recente. Esta conexão pode ser feita localmente para a ferramenta de um dispositivo móvel para ver resultados imediatos do último teste executado. Detalhes do teste podem ser acessados através da interface do usuário, exibindo a ID de conexão (comutador, IP, VLAN e porta), bem como o tempo de resposta do gateway e do servidor. O LinkSprinter enviará automaticamente por e-mail os resultados do teste para o dispositivo móvel, permitindo que o técnico anote conforme necessário.

*Observe que o LinkSprinter 100 e 200 não estão disponíveis na China

Documentação na nuvem

Documentação é uma dor para qualquer técnico. Ele muitas vezes sofre porque a documentação é considerada uma prioridade mais baixa do que assumir novos problemas que surgem e podem ser demorados e trabalhosos para gerar.

 

LinkSprinter foi projetado com essa cultura em mente. Ele pode ser configurado para enviar automaticamente os resultados de teste para o serviço de nuvem LinkSprinter incluído, poupando tempo de documentação para o técnico e permitindo que os resultados sejam instantaneamente compartilhados entre os membros da equipe e arquivados para relatórios históricos e de linha de base.

 

Os resultados em nuvem também podem ser usados para documentar conexões de rede para novas instalações ou adições/mudanças, o que simplifica bastante o processo de identificação de queda. Isso poupa muito tempo quando os problemas atacarem no futuro porque os engenheiros podem identificar rapidamente qual porta do comutador é afetada quando um usuário liga.

 

Conclusão

O LinkSpinter permite que as equipes de TI cheguem rapidamente à causa principal de problemas de rede. Isso agiliza e simplifica os testes comuns, criando um fluxo de trabalho automatizado para engenheiros e técnicos de rede. Isso permite que as organizações de TI isolem e resolvam problemas de desempenho, rapidamente, independentemente de quem é enviado. Os LEDs fáceis de ler e os resultados dos testes permitem que técnicos com todos os níveis de experiência em TI cheguem à raiz de problemas difíceis de rede, enquanto reduzem o tempo de documentação e colaboração a quase nada.

 

Visite: LinkSprinter.com para saber mais

 
 
Powered By OneLink