Documentos: atravessando a névoa | enterprise.netscout.com

Documentos: atravessando a névoa

Documentos: a necessidade de visibilidade e monitoramento em tempo real do SaaS | NETSCOUT

Para promover maior inovação corporativa e ágil resposta a novas oportunidades de negócios, as empresas estão cada vez mais implantando aplicativos de Software como Serviço (SaaS) para atender às suas necessidades. Essa movimentação cria uma empresa sem fronteiras, onde a tradicional linha entre a infraestrutura do centro de dados da empresa e aplicativos externos fica difusa. Embora as empresas sejam beneficiadas pelos SaaS, os administradores de TI são desafiados: de quem é a responsabilidade pelo desempenho e confiabilidade do SaaS? As empresas esperam que o departamento de TI adiante-se e assuma a responsabilidade pela confiabilidade do SaaS, especialmente à medida que ele interage com tantos ativos tradicionais do centro de dados. Atualmente, os administradores de TI têm pouca ou nenhuma visibilidade sobre o SaaS, a fim de que possam adequadamente solucionar os problemas do SaaS para usuários finais e clientes. O monitoramento proativo e em tempo real dos recursos do SaaS com o TruView™ Live da NETSCOUT TruView™ cria uma ponte entre o centro de dados e a nuvem, recuperando para o departamento de TI o controle total sobre suas redes.

    Índice

  • Parte I: o que está promovendo a adoção do SaaS?
  • Parte II: a mudança para uma empresa sem fronteiras
  • Parte III: é hora de assumir o controle do SaaS
  • Parte IV: NETSCOUT'S TruView™ Live Solution
  • Parte V: o que o TruView Live da NETSCOUT oferece

Parte I: o que está promovendo a adoção do SaaS?

O Software como Service (SaaS) é uma das tecnologias de mais rápido crescimento no mercado. As empresas estão cada vez mais mudando do tradicional modelo de TI (Tecnologia da Informação) cliente/servidor, que hospeda aplicativos internamente, em direção a um modelo "empresa sem fronteiras", no qual recebem o software pela nuvem de grandes fornecedores terceirizados, como Salesforce.com, Oracle, Microsoft e dezenas de outros. E o índice de adoção em grandes corporações está acelerando. De acordo com um recente artigo da Forbes Magazine, "Até 2018, 59% das cargas de trabalho totais da nuvem serão compostas por Software como Serviço (SaaS), um aumento em comparação aos 41% do ano de 2013".1 As vendas totais de SaaS estão previstas para atingir
US$ 106 bilhões até 2016, um aumento de 21% em relação a 2015,2. 2

"Até 2018, 59% da cargas de trabalho totais da nuvem serão compostas por Software como Serviço, um aumento em relação aos 41% de 2013".

Fonte: Forbes, 2015

As principais razões para a explosão do mercado de SaaS são a diversidade e a inovação de aplicativos SaaS de terceiros. Inicialmente concentrado em softwares contábeis e de vendas, atualmente o SaaS abrange uma ampla gama de aplicativos corporativos baseados na nuvem, incluindo gerenciamento do relacionamento com o cliente (CRM), produtividade de escritórios, aplicativos móveis e capacitação para marketing, como o gerenciamento de conteúdo (consulte a Figura 1). Porém, por que mais empresas estão tirando a ênfase de tradicionais modelos de TI com centros de dados, em favor de aplicativos baseados na nuvem?

O SaaS oferece inovação rápida

O ritmo da concorrência global continua acelerando, e as centrais de TI das empresas estão sendo muito pressionadas a implantar, configurar e manter novos aplicativos no local, com pontualidade. Os CIOs estão em meio a fogo cruzado, entre querer manter sua infraestrutura de TI atual enquanto o desenvolvimento da empresa exige maior flexibilidade de aplicativos, mais recursos e mais agilidade. A adoção de aplicativos SaaS é uma forma mais rápida e acessível de alcançar lucratividade. As últimas novidades em aplicativos móveis, de processos corporativos e produtividade estão a apenas um clique de distância no menu do SaaS.

Com o SaaS, as empresas também podem facilmente ampliar o acesso de sua crescente força de trabalho móvel — e mais importante, dos seus clientes — ao aplicativo. O acesso permanente e a qualquer momento agora é um requisito, não um luxo. Sessenta por cento de todo o uso da Internet é móvel. 3 Over one billion workers, worldwide, will be mobile in 2015—over a third of the overall workforce. [1.3 Billion Workers to Go Mobile by 2015—Business News Daily]4 Using SaaS, enterprises can more easily extend their application-reach to mobile customers and employees. À medida que aplicativos baseados na nuvem são atualizados, expandidos ou revisados, não há necessidade dos usuários móveis reconfigurarem ou trocarem seus dispositivos. O problema da necessidade de backup seguro e proteção dos dados do trabalhador móvel desaparece completamente — em uma nuvem de SaaS segura.

Figura 1. A diversidade do aplicativo SaaS na empresa.

A TI tradicional está se esforçando para acompanhar o ritmo da demanda do usuário final. A adição, movimentação e mudança de usuários em um modelo de centro de dados "cliente-servidor" pode ser um processo demorado e repleto de problemas, como provisionamento de servidor, licenciamento de software, backup e recuperação de ativos de centro de dados, e contínua manutenção da rede. Em um recente relatório de pesquisa da Harvard Business Review Analytic Services, executivos de TI citaram as seguintes razões como sendo as principais para o uso de computação na nuvem:

  • "Maior agilidade da empresa
  • Capacidade flexível
  • Adoção mais rápida de nova tecnologia
  • Custos fixos mais baixos
  • Custos iniciais menores para desenvolver/implementar sistemas de TI
  • Acesso permanente às versões mais recentes do software, sem atualizações/correções de TI"
  • Fonte: Harvard Business Review Analytics Services. 5

Claramente, a demanda de usuários, a redução de custos e a maior agilidade estão promovendo a nuvem e a adoção do SaaS. O modelo "pague pelo que usar" do SaaS não é apenas mais econômico, mas também agrega uma implantação rápida e flexível e na medida da necessidade em questão. Quando o padrão de acesso de funcionários e parceiros muda, o SaaS pode responder de uma forma como nenhuma arquitetura tradicional "cliente-servidor" é capaz. Por esses motivos, o SaaS está avançando muito em empresas específicas.

Quem está usando SaaS?

Embora à primeira vista possa parecer que os recursos do SaaS seriam perfeitamente adequados para muitas empresas de pequeno e médio porte (PME), grandes corporações e empresas mundiais estão na linha de frente de adoção do SaaS. Um relatório mostra que a adoção do SaaS por empresas está em 50%. 6 Meanwhile, the adoption rate of traditional mission- critical software in the enterprise is declining.
A natureza geográfica amplamente distribuída das grandes empresas, acoplada aos recursos sob demanda do SaaS, torna os serviços baseados na nuvem especialmente atrativos para grandes organizações. Por exemplo, uma importante empresa contábil mundial pode utilizar seus aplicativos SaaS unificados de equipes de trabalho espalhadas pelo mundo todo, com acesso permanente de qualquer lugar, em vez de investir em licenciamento e manutenção de softwares locais em diferentes unidades. Inversamente, empresas de pequeno a médio porte geralmente são mais centralizadas geograficamente e já investiram muito em infraestrutura local, sendo assim relutantes à ideia de substituir ou abandonar essas infraestruturas. No entanto, à medida que a infraestrutura de empresas de pequeno e médio porte envelhecem e precisam de substituição, até mesmo essas empresas podem cada vez mais recorrer ao SaaS como uma forma viável de aumentar seus centros de dados.

O encolhimento do mercado para a implantação local de softwares de missão crítica
na empresa

Figura 2. Fonte: Data Knowledge Center

Parte II: a mudança para uma empresa sem fronteiras

Com a maior adoção do SaaS por grandes organizações, elas estão operando como empresas sem fronteiras, em que as linhas entre o centro de dados tradicional e aplicativos de terceiros tornaram-se difusas. E esse é um caminho sem volta. A empresa sem fronteiras continuará expandindo seu alcance. As empresas têm comprovado que o SaaS promove um melhor relacionamento com o cliente e acomoda mais facilmente sua crescente quantidade de trabalhadores móveis. No entanto, os usos cada vez mais sofisticados e inovadores da nuvem e de aplicativos SaaS comerciais não retiram totalmente a carga imposta sobre o departamento de TI. De fato, embora as funções mais antigas de provisionamento e manutenção de centros de dados possam de certa forma ser reduzidas no contexto da maior utilização do SaaS, essa mudança apresenta muitos novos desafios ao departamento de TI.

Atualmente, nuvem, SaaS, acesso móvel, inovação comercial e agilidade são itens obrigatórios. No entanto, independentemente da origem da tecnologia, o trabalho do departamento de TI ainda é monitorar, manter e aprimorar essas tecnologias, ainda que elas estejam fora das fronteiras convencionais do centro de dados. O motivo é que praticamente todas essas tecnologias sem fronteiras afetam de algum modo o departamento de TI. Os administradores de TI não podem mais dizer que o SaaS e a nuvem "não estão na rede deles, então não são problema deles". Ao final, todas as atividades e todos os dados afunilam para o departamento central de TI — literal e figurativamente falando (veja a Figura 3). Como resultado, o setor de TI é sobrecarregado com problemas relativos a largura de banda e provedores de rede de área ampla (WAN), telecomunicações, garantia de acesso do usuário e desempenho aceitável. Ao lidar com SaaS e a nuvem, atualmente o departamento de TI deve abordar questões que estão "além da fronteira", ainda que afetem o coração do centro de dados e seus usuários.

Figura 3. A nova empresa sem fronteiras: a rede não está mais no prédio da empresa.

Tempo ocioso não é uma opção viável.

Usuários finais e clientes não estão preocupados se o acesso vem de um aplicativo SaaS ou de um servidor central. Desempenho, confiabilidade e disponibilidade é tudo o que importa. Qualquer degradação no desempenho do SaaS cai diretamente "no colo" do departamento de TI da empresa. Tempo ocioso não é uma opção viável. O desempenho ruim representa uma significativa perda de produtividade — ou perda de clientes. Encaminhar usuários do SaaS ao provedor não resolverá nenhum desses problemas de forma oportuna, e a capacidade de resposta está diretamente relacionada à receita e à satisfação do cliente.

Embora as compras de SaaS possam ter se originado fora do departamento de TI, as unidades de negócios esperam que a TI cumpra seu tradicional papel de manter os sistemas funcionando. Para profissionais de TI, no entanto, os limites estão difusos ou até mesmo apagados, o que, na melhor das hipóteses, dificulta a solução e resolução de problemas. O desempenho do aplicativo é afetado por tantas variáveis que fica difícil determinar, rapidamente, onde se originam os problemas de desempenho do aplicativo.

Onde está o problema?

Na complexa interação entre usuários, múltiplos centros de dados, WANs, usuários remotos e aplicativos SaaS, parte do trabalho dos administradores de TI é cortada. Interrupções e lentidão de desempenho causam uma inundação de ligações para o help desk — mas não há procedimentos padronizados para a solução dos problemas de SaaS. Assim, no caso de uma interrupção ou degradação de desempenho, o departamento de TI deve rapidamente examinar e verificar o seguinte:

  • O centro de dados? Quando o desempenho do aplicativo é atingido, a primeira parada para a solução de problemas é o próprio centro de dados. No caso de aplicativos dependentes de banco de dados, os registros estão exibindo erros? Na rede, o servidor de aplicativos está respondendo? Observando a rede do centro de dados, os roteadores estão configurados corretamente ou a estrutura do comutador está sobrecarregada? O firewall ou o comutador de borda (WAN) está mal configurado, bloqueando ou não priorizando o tráfego corretamente?
  • Usuários e escritórios remotos? A próxima pergunta é se a rede remota em si está enfrentando problemas de desempenho. Aqui, as áreas a serem investigadas são semelhantes àquelas do centro de dados: firewalls mal configurados, rede sobrecarregada ou, em alguns casos, interferência de aparelhos sem fio. As conexões de WAN estão otimizadas?
  • Provedor de WAN? O provedor configurou corretamente seu comutador de borda para entregar a largura de banda e a qualidade de serviço/classe de serviço (QoS/CoS) certas? O balanceamento de carga no serviço de WAN está funcionando? Os segmentos da WAN estão inativos e redirecionando tráfego, causando atrasos?
  • Provedor de SaaS? Evidentemente, os solucionadores de problemas de TI também precisam verificar o estado do provedor de SaaS. Quais níveis de desempenho ele relata? Infelizmente, a maior parte das verificações de desempenho do acordo de nível de serviço (SLA) nos locais de SaaS oferece apenas estatísticas gerais, que não são específicas o bastante para averiguar adequadamente como está o desempenho de um grupo específico de usuários.

Então, quem é responsável pelo problema?

É o departamento de TI. Devido às complexas interações entre centro de dados, escritórios remotos, provedores de WAN e nuvem de SaaS, diversos fatores podem estar contribuindo para a ocorrência de interrupções ou desempenho ruim. Você goste ou não, o desempenho, a confiabilidade e, por fim, a experiência do usuário final, são todos fatores que são responsabilidades do departamento de TI. O último item da lista de verificação da solução de problemas — o provedor de SaaS — é um ponto cego para o departamento de TI.

O departamento de TI não enxerga o SaaS

Dada a falta de relatórios granulares da maioria dos aplicativos SaaS e, em alguns casos, dos fornecedores de telecomunicações para WAN, o departamento de TI, de fato, "não enxerga o SaaS". Sem visibilidade das nuvens do provedor, não há oportunidade para a correção rápida do problema. As estatísticas dos relatórios gerais dos provedores podem mostrar níveis satisfatórios de serviço — embora de forma agregada e não específica o bastante para que o administrador de TI possa identificar o problema peculiar. Isso pode levar a mais uma rodada de solução interna de problemas, dupla verificação de sistemas visíveis... enquanto isso, a produtividade para. Após um exaustivo processo de eliminação, o departamento de TI pode desconfiar que, de fato, existe algo errado na nuvem de SaaS. No entanto, os administradores não têm como identificar o problema específico sem antes pegar o telefone e entrar em contato com o suporte do SaaS.

Além disso, as ferramentas de monitoramento da Web também são ineficazes: elas geralmente executam testes genéricos do provedor para o local do usuário final. Isso não leva em conta a configuração da central de TI nem o uso real. Tais ferramentas passivas não oferecem visibilidade ou monitoramento ativos, de ponta a ponta e em tempo real.

Falta de visibilidade não é uma resposta válida

Nesses casos, a administração de TI está cercada por todos os lados. As ferramentas tradicionais de monitoramento da rede são inúteis, uma vez que o tráfego atinge a "névoa da nuvem de SaaS". Ainda assim, a empresa responsabiliza o departamento de TI. Independentemente da origem da interrupção ou do mau desempenho do SaaS, a falta de visibilidade não é uma resposta válida.
A produtividade do funcionário, a satisfação do cliente e o funcionamento de toda a empresa estão em risco. Para que o departamento de TI obtenha êxito, ele precisa de novas ferramentas.

Parte III: é hora de assumir o controle do SaaS

Parte do problema arquitetônico do monitoramento de SaaS não é um erro, é um recurso. Sem uma rígida segurança, os provedores de SaaS abririam suas empresas a possíveis vulnerabilidades e ameaças. Ainda assim, não há desculpas para esconder métricas granulares de desempenho para os clientes. Os administradores de TI precisam de ferramentas novas e em tempo real para obter visibilidade sobre o ambiente de SaaS, sem sacrificar a segurança. Essencialmente, eles precisam atravessar a névoa que cerca o SaaS para:

  • Garantir o desempenho da rede
  • Avaliar o desempenho do provedor de serviço
  • Oferecer um monitoramento de desempenho eficiente e flexível

Garantir o desempenho da rede

Seja no local ou na nuvem, novas ferramentas são necessárias para continuamente avaliar e monitorar o desempenho, de ponta a ponta. Quando um grupo de usuários ou até mesmo um indivíduo enfrenta uma interrupção ou lentidão na resposta do aplicativo, uma única ferramenta deve ser capaz de monitorar e rastrear o tráfego, de uma ponta à outra. O monitoramento em tempo real quebra o ciclo de verificar, verificar novamente e da incerteza sobre a origem dos problemas. Isso minimiza o tempo de inatividade e otimiza a solução de problemas de TI. Os administradores de TI podem, então, determinar rapidamente se o problema está dentro das paredes deles, ou se o provedor de SaaS precisa tomar uma ação decisiva.

Avaliar o desempenho do provedor de serviço

As empresas pagam pelos SLAs. Seja um fornecedor de telecomunicações de WAN ou uma plataforma de aplicativos SaaS, devido a esses contratos de SLA, as empresas têm o direito de saber se estão recebendo o nível de serviço acordado. A compra e o pagamento de aplicativos de voz sobre IP (VoIP), SaaS ou até mesmo conexões WAN para LAN remota dependem de os fornecedores cumprirem essas obrigações de SLA.

O monitoramento em tempo real é capaz não só de rastrear a raiz de problemas que matam a produtividade, como também dão às empresas percepções em tempo real sobre o verdadeiro nível de serviço do provedor. Em muitos casos, o desempenho cai gradualmente, com poucas reclamações dos usuários finais. Se a Qualidade de serviço ou a Classe de serviço (QoS ou CoS) não tiver um desempenho de acordo com os níveis acordados, os administradores da rede podem notificar o fornecedor para que esse corrija o problema antes que ele cause uma dor de cabeça maior para o departamento de TI. Rastreando e registrando os níveis de desempenho dos fornecedores durante um certo período, as empresas podem descobrir que o fornecedor não está cumprindo seu SLA. Assim, as empresas podem encontrar outro fornecedor ou negociar um preço de serviço melhor com base em SLAs não cumpridos. Como alternativa, as empresas podem trabalhar mais próximas ao fornecedor para aliviar a deficiência de desempenho, quando a natureza exata do problema for claramente identificada.

Monitoramento de desempenho eficiente e flexível

Com as constantes mudanças na empresa sem fronteiras, todas as novas ferramentas de monitoramento precisam ser tão flexíveis e ágeis quanto os aplicativos que estão promovendo maior inovação. Elas devem ser elásticas e fáceis de implantar (ou até mesmo reimplantar) à medida que as condições da rede mudam. Os principais pontos críticos, como acesso do usuário final, comutadores e tráfego de WAN, devem ser monitorados e rastreados em uma única tela. Assim, os administradores têm uma visão clara e desobstruída de toda a trajetória das conexões de rede.

Parte IV: NETSCOUT'S TruView™ Live Solution

Quando sistemas de SaaS caem, espera-se que os administradores de TI reajam imediatamente, arriscando suas reputações. No entanto, os administradores não podem corrigir o que não estão vendo. É por isso que a NETSCOUT, com décadas de experiência em monitoramento da rede, desenvolveu o TruView Live: para restaurar o controle e a visibilidade para o departamento de TI. Com o TruView Live, os administradores de TI agora dispõem de monitoramento de ponta a ponta e em tempo real de toda a rede, dos usuários finais até a nuvem, e da nuvem até os usuários finais. O TruView Live usa pulsos de rede ativos e em tempo real para coletar informações, automática ou manualmente, e chegar à raiz dos problemas de desempenho do aplicativo da empresa.

Com o TruView Live, agora os administradores de TI podem:

  • Monitorar a disponibilidade e o desempenho completos de redes em tempo real e com uma única tela
  • Receber alertas e definir limites de desempenho para resolver os problemas, antes que eles se transformem em um problema para o usuário
  • Isolar problemas e responder proativamente a eles, para manter a produtividade da empresa
  • Produzir relatórios precisos de desempenho de SaaS e SLAs para a gerência, conforme necessário

O resultado final é que o TruView Live tira o departamento de TI do modo reativo e é capaz de evitar muitos problemas de SaaS e de rede, antes que eles se transformem em um problema para a empresa. Se ocorrer uma interrupção catastrófica, os administradores de TI poderão rapidamente usar o TruView Live para isolar o problema e passar rapidamente para uma solução, em vez de gastar horas tentando rastrear as causas.

O TruView Live e seu sistema de tecnologias de pulso ativo de rede são fornecidos em três implementações distintas e arquitetonicamente específicas (veja a Figura 4):

  • TruView Pulse
  • Pulso virtual
  • Pulso global

Figura 4.
O TruView Live oferece relatórios em tempo real
dos pulsos da rede de modo local, regional e global.

TruView Pulse

O TruView Pulse é um microdispositivo pequeno e de testes ativos, que é implantado em praticamente qualquer segmento da rede, com sua porta Ethernet 10Mb/100Mb/1Gb do tipo plug-and-play. Com uma arquitetura sem agentes, os administradores do sistema podem conectar o TruView Pulse em gabinetes de fiação, sub-redes ou em qualquer lugar do próprio centro de dados. Ele automaticamente sincroniza e gera relatórios para o Painel central do TruView Live, onde os administradores podem configurar cada dispositivo do TruView Pulse implantado. Com um design de energia pela Ethernet (PoE), sua implementação é extremamente versátil e pode ser posicionada e movida para onde quer que o departamento de TI precise de dados de desempenho — especialmente à medida que as redes evoluem e/ou são reconfiguradas — ou para onde exista a suspeita do surgimento de pontos problemáticos.

Pulso virtual

O pulso virtual é uma ferramenta de testes baseada em software que pode ser imediatamente baixada e instalada no Red Hat Enterprise, Ubuntu, Amazon AMI, Windows 7/8 e Windows Server 2008/2012. O produto é especialmente útil para administradores de TI, quando é necessário monitoramento em tempo real e imediato em um determinado local. Após a rápida instalação, o departamento de TI pode monitorar informações da rede remota pelo Painel do TruView Live, independentemente de onde o pulso virtual esteja instalado.

Pulso global

O pulso global monitora continuamente a conectividade e o desempenho, a partir de sensores públicos posicionados estrategicamente em todo o mundo. Com seu painel fácil de usar, os administradores do sistema podem ver o tráfego para e a partir de sua localização, graças a qualquer um dos pontos de pulso internacionais, o que os ajuda a calcular problemas de conectividade e de desempenho. Atualmente, o pulso global monitora o tráfego de rede pública a partir das seguintes áreas geograficamente espalhadas pelo mundo:

  • Califórnia, EUA
  • Dublin, Irlanda
  • Frankfurt, Alemanha
  • Oregon, EUA
  • São Paulo, Brasil
  • Cingapura, Malásia
  • Sydney, Austrália
  • Tóquio, Japão
  • Virgínia, EUA

Mais pontos de pulso públicos serão adicionados no futuro, expandindo ainda mais a amplitude do monitoramento mundial e em tempo real do pulso global.

Independentemente da localização do TruView Live — de usuários finais a servidores baseados na nuvem — usando seus pulsos ativos, o Painel do TruView Live oferece relatórios detalhados e monitoramento das seguintes condições de rede:

  • Atraso de DNS
  • Atraso da rede
  • Atraso do cliente
  • Atraso do servidor
  • Atraso de aplicativos

Com essas ferramentas, os administradores de TI agora têm visibilidade completa e em tempo real. SaaS, nuvem e conexões WAN estão de volta à tela do radar do departamento de TI, e essa visibilidade oferece as habilidades de identificação de responsabilidades e desempenho proativo que atualmente estão em falta.

No TruView Live,você paga pelo que usar

O TruView Live, assim como muitos dos sistemas que ele monitora, é um serviço da NETSCOUT em que você paga conforme seu uso. Isso significa que as corporações nunca têm falta ou excesso de cobertura enquanto administram suas dinâmicas empresas sem fronteiras. Diferentemente de outras soluções SaaS, o TruView Live é mais abrangente e acessível, sem compromissos de longo prazo. É fácil administrar a adição, remoção ou alteração do monitoramento do
TruView Live.

Painel do TruView Live

Parte V: o que o TruView Live da NETSCOUT oferece

O TruView Live é desenvolvido e tem o suporte de um dos nomes mais antigos e confiáveis na administração de rede. Muitos administradores de rede já estão familiarizados com outros produtos da NETSCOUT, cuja eficácia foi comprovada pelo tempo. Agora, com o TruView Live, os administradores de TI e de centros de dados podem ampliar seu alcance na empresa sem fronteiras, atender ou ultrapassar as expectativas de desempenho de suas empresas e conquistar o seguinte:

  • Responsabilização pelo desempenho e SLAs do SaaS, da WAN e do provedor da nuvem
  • Visibilidade total da rede, independentemente da localização do aplicativo.
  • Maior satisfação e produtividade do usuário final e do funcionário
  • Maior capacidade de resposta do departamento de TI e do help desk, com monitoramento proativo e solução de problemas mais rápida

Uma vez que os profissionais de TI e de centros de dados veem um crescimento ainda maior da empresa sem fronteiras, agora eles têm a capacidade e as ferramentas necessárias para retomar o poder sobre suas redes, não importa onde estejam.

Referência

  1. Columbus, Louis. "Roundup of Cloud Computing Forecasts and Market Estimates, 2015". Forbes Magazine. 2015.
  2. Ibid. Forbes Magazine.
  3. Sterling, Greg. "Report: 60 Percent Of Internet Access Is Mostly Mobile". Marketing Land. 2014.
  4. Meilach, David. "1.3 Billion Workers to Go Mobile by 2015".
  5. Harvard Business Review. "How the Cloud Looks from the Top: Achieving Competitive Advantage In the Age of Cloud Computing".
  6. Computer Economics. "Larger Companies Lead SaaS Adoption. 2013.

Marcas comerciais, marcas de serviço ou direitos similares dos produtos mencionados pertencem exclusivamente aos seus respectivos proprietários.

 
 
Powered By OneLink